ONG Parceira do PortoWeb

PORTAL IG - Comissão da Verdade quer acesso a dados do Exército no Rio Grande do Sul

 

PORTAL IG

 

COMISSÃO DA VERDADE

Comissão da Verdade quer acesso a dados do Exército no Rio Grande do Sul

Documentos, queimados em ato público, teriam sido microfilmados e, segundo historiador, estão no Comando Militar do Sul

Luciana Lima - iG Brasília – 26/11/2012 | 26/11/2012 20:31:49

·         

A Comissão Nacional da Verdade quer ter acesso às microfilmagens de todos os documentos do Departamento de Ordem Política e Social (DOPS), do Rio Grande do Sul, que, de acordo com Jair Krischke, estão em poder do Comando Militar do Sul. Os integrantes da comissão pretendem pedir a intermediação do ministro da Defesa, Celso Amorim, para que os documentos sejam entregues para serem analisados.

A informação de que os documentos estão em poder do Exército foi repassada hoje (26) por Jair Krischke, em depoimento à Comissão. De acordo com Krischke, acreditava-se que os documentos haviam sido queimado já que, dias após a extinção do principal órgão de repressão, em 1982, o então governador Amaral de Souza ordenou a queima de toda a documentação em um ato público.

"O Rio Grande do Sul foi o único Estado que fez isso, com toda pompa, chamando a imprensa para retratar. Mas o que queimou foi só a papelada. Tudo foi microfilmado antes e está no Comando Militar do Sul", disse o fundador Movimento de Justiça e Direitos Humanos (MJDH).

Krischke informou que o Comando Militar do Sul já confirmou que tem os documentos, mas que eles são sigilosos. "Ele [o Exército] admitiu, disse que tinha dos documentos mas que só poderiam ser abertos após 25 anos. Ele confessou ao dizer isso e sua confissão está publicada pela imprensa. Essa publicação eu entreguei a Comissão da Verdade", disse.

"O que queimou foi a papelada. Os arquivos foram microfilmados. Foram modernizados", ironizou.

Os indícios da existência dos documentos partiu de uma pesquisa feita por Krischke nos arquivos de documentos do período ditatorial no Uruguai. Encontrei a ficha de depois brasileiros em Montevidéu com anotações feitas após a data da queimada. A partir desse documento chegamos aos arquivos", explicou Krischke.

A coordenadora das investigações sobre a operação Condor (aliança entre as ditaduras de países do Cone Sul para captura de opositores dos regimes ditatoriais), Rosa Maria Cardoso da Cunha, explicou que legalmente a comissão pode ter acesso a documentos sigilosos. "Nos temos uma lei e, por essa lei, nós temos o direito de ter acesso a todos os documentos, mesmo os documentos secretos", explicou.

No depoimento de hoje, Krischke apresentou vários documentos que apontam que a Operação Condor é uma "criação brasileira".

"Esses documentos tem o dom de provar definitivamente que o criador da Operação Condor que há temos usava o nome de busca externa foi o Brasil. A prática de forma absolutamente ilegal, de retirar pessoas de um país, e trazer, no caso para o Brasil sendo que muitos deles, senão a maioria deles está desaparecida, isso foi uma criação brasileira", disse Krischke. Essas pessoas, se vivas forem, deverão dizer o que fizeram.

Rosa Cardoso disse ainda que os documentos apresentados por Krischke durante o depoimento servirão para embasar o relatório que será produzido. "Nós vamos contar uma história e temos que comprovar com documentos. Tínhamos notícias desses fatos relatados, mas hoje eles nos trouxe documentos que comprovam isso", disse.

 

 


Homenagem, em Montevideo, a Jair Krischke, Presidente do MJDH RS
Personalidades de varios países do se reuniram hoje em Montevideo UR, para homenagear os 80 anos de idade de Jair Krischke
Presidente do Movimento de Justiça e dos Direitos Humanos recebe amanhã, 19, Prêmio no Uruguai por sua luta contra os Direitos Humanos
Abertas as inscrições para o 35º Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo – 2018
Faleceu o amigo e colega Luís Milman
Famecos inicia atividades de projeto integrado do curso de Jornalismo
Acolhimento de refugiados em igrejas é alvo de críticas na Alemanha
Jair Krischke é palestrante na VII Conferência Internacional dos Direitos Humanos, na sede da OAB/RS
Morre Helio Bicudo, defensor dos Direitos Humanos
Compañer@s cuban@s:
Mecanismo Especial de Seguimiento para Nicaragua (MESENI) completa tercera semana de trabajo y constata intensificación de represión y operativos por la policía y grupos parapoliciales
Dani Rudnick, no Canadá, representando o PPG Direitos Humanos da Uniritter
Companheiro do MJDH, no Canadá, representando o PPG Direitos Humanos da Uniritter. apresentando paper sobre as prisões brasileiras
I Seminário Democracia e Direitos Humanos: 7 e 8 de junho, em Porto Alegre
Parentes dos desaparecidos continuam a reivindicar verdade e justiça
Conferência Estadual dos Direitos Humanos
Entrega de Prêmio Direitos Humanos ao Diário do Litoral
PRÊMIO DIREITOS HUMANOS DE JORNALISMO - Título: CÁRCERE FLUTUANTE – Verdade ainda submersa. Compareça
Museo inaugura exposición en honor al diplomático sueco y Embajador Harald Edelstam
30ª Medalha Chico Mendes de Resistência - 2018

Página 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | ... || Próxima

A+-     A  ?
» Contatos
Movimento de Justiça e Direitos Humanos

Av. Borges de Medeiros, 340 - 94
Porto Alegre - RS

 (51) 3221-9130
 Fale Conosco









Desenvolvimento PROCEMPA