ONG Parceira do PortoWeb

XIII Simpósio Associação Ibero Americana de Filosofia Política: 14-16 outubro, Juiz de Fora

MOVIMENTO DE JUSTIÇA E DIREITOS HUMANOS/Brasil INFORMA:

Att,

 

Jair Krischke - Presidente

Movimento de Justiça e Direitos Humanos

 

XIII Simpósio Associação Ibero Americana de Filosofia Política: 14-16 outubro, Juiz de Fora

http://www.ufjf.br/wp-content/plugins/imgpgprinc_refresh/arquivos/filosofiapolitica/1.img

XIII Simpósio Iberoamericano de Filosofia Política

http://www.ufjf.br/filosofiapolitica/programacao/

Tema: Liberdade e Poder no mundo contemporâneo

Dias 14, 15 e 16 de outubro de 2013

Universidade Federal de Juiz de Fora, Brasil

 Convocação

A velocidade e a amplitude das mudanças ocorridas nos mais diversos planos da atividade econômica, política, social e cultural do mundo contemporâneo, modificaram a realidade e o conceito moderno de liberdade, do mesmo modo que tornaram mais visíveis e complexas as suas relações com as tramas de poder hoje existentes.

Examinar estas relações a partir das diversas perspectivas teóricas da filosofia política, é o objetivo do XIII Simpósio Iberoamericano de Filosofia Política, a ser realizado em Juiz de Fora, Brasil, neste ano de 2013.

O evento é uma realização conjunta da Associación Iberoamericana de Filosofia Política – AIFP, do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da UFJF, do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Do Rio do Vale dos Sinos (UNISINOS), São Leopoldo-Porto Alegre, Brasil, da Cátedra Unesco de Direitos Humanos e Violência, Governo e Governança, da Unisinos, e do Departamento de Filosofia da UFJF, da Cátedra Luiz Werneck Vianna da UFJF e do Centro de Estudos de Cultura Contemporânea -CEDEC-SP.

 

Grupos de Trabalho

GT 2 – Direitos e injustiças: o governo das liberdades e o esvaziamento formal das democracias

Coordenadores:  Castor M. M. Bartolomé Ruiz (UNISINOS/Brasil)

Edson Teles (UNIFESP/Brasil)

Ementa: Esta mesa se propõe analisar criticamente como o capitalismo fez da liberdade um espaço de governo da vontade dos sujeitos, em diversas fases e modos. Esta aparente aporia constituiu-se num eficiente dispositivo de poder que administra as liberdades (im)pondo a definição dos limites do seu agir e as metas a atingir. O maciço investimento na gestão das liberdades característico de nossos sistemas sociais esvazia o sentido das democracias reduzindo-as a meros marcos formais de legitimação jurídica da ordem estabelecida. A administração utilitária da liberdade se implica numa paradoxal relação com o direito desembocando em novas formas de injustiça social e estrutural. As injustiças do século XXI fogem da exploração selvagem dos séculos passados apresentando uma matriz tecno-científica de gestão da vida humana. A mesa se propõe também pesquisar o modo como desde a perspectiva utilitária o direito é utilizado pelo capitalismo como dispositivo ordenador que normaliza os sujeitos e legitima a injustiça a modo de efeito colateral inevitável da ordem natural. A crítica aos limites do governo biopolítico da liberdade dificilmente será feita desde dentro da lógica utilitária, que a legitima como ciência útil e necessária na administração de recursos humanos. A biopolítica tende a absorver a lógica do governo da liberdade numa totalidade interna de sentido. Os limites e sua crítica se percebem desde um afora manifestado na alteridade dos injustiçados. A injustiça permanece numa abertura não capturada pela ordem. Ela não consegue ser totalmente imanentizada como algo normal porque sua noção de ordem há de confrontar-se com a condição de sofrimento dos injustiçados. A alteridade das vítimas permanece como uma exterioridade ética não capturada pelos dispositivos normalizadores da injustiça. O propósito desta mesa é pesquisar esta contradição como referente ético que delimita criticamente os dispositivos biopolíticos que administram a vida humana como objeto útil.

Endereço eletrônico para envio das comunicações: castorbartolome@terra.com.br eedsonteles@gmail.com

Datas Importantes: 

Apresentação de propostas: até 25 de maio de 2013.

Divulgação das propostas aprovadas: até 03 de junho de 2013.

Envio dos trabalhos completos: até 08 de setembro de 2013.

 

 


Homenagem, em Montevideo, a Jair Krischke, Presidente do MJDH RS
Personalidades de varios países do se reuniram hoje em Montevideo UR, para homenagear os 80 anos de idade de Jair Krischke
Presidente do Movimento de Justiça e dos Direitos Humanos recebe amanhã, 19, Prêmio no Uruguai por sua luta contra os Direitos Humanos
Abertas as inscrições para o 35º Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo – 2018
Faleceu o amigo e colega Luís Milman
Famecos inicia atividades de projeto integrado do curso de Jornalismo
Acolhimento de refugiados em igrejas é alvo de críticas na Alemanha
Jair Krischke é palestrante na VII Conferência Internacional dos Direitos Humanos, na sede da OAB/RS
Morre Helio Bicudo, defensor dos Direitos Humanos
Compañer@s cuban@s:
Mecanismo Especial de Seguimiento para Nicaragua (MESENI) completa tercera semana de trabajo y constata intensificación de represión y operativos por la policía y grupos parapoliciales
Dani Rudnick, no Canadá, representando o PPG Direitos Humanos da Uniritter
Companheiro do MJDH, no Canadá, representando o PPG Direitos Humanos da Uniritter. apresentando paper sobre as prisões brasileiras
I Seminário Democracia e Direitos Humanos: 7 e 8 de junho, em Porto Alegre
Parentes dos desaparecidos continuam a reivindicar verdade e justiça
Conferência Estadual dos Direitos Humanos
Entrega de Prêmio Direitos Humanos ao Diário do Litoral
PRÊMIO DIREITOS HUMANOS DE JORNALISMO - Título: CÁRCERE FLUTUANTE – Verdade ainda submersa. Compareça
Museo inaugura exposición en honor al diplomático sueco y Embajador Harald Edelstam
30ª Medalha Chico Mendes de Resistência - 2018

Página 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | ... || Próxima

A+-     A  ?
» Contatos
Movimento de Justiça e Direitos Humanos

Av. Borges de Medeiros, 340 - 94
Porto Alegre - RS

 (51) 3221-9130
 Fale Conosco









Desenvolvimento PROCEMPA