ONG Parceira do PortoWeb

Morre Lícia Peres, socióloga, feminista e militante política

Natural de Salvador, na Bahia, Lícia morava na Capital desde 1964

Foto: Lauro Alves /Agencia RBS

A socióloga Lícia Margarida Macedo de Aguiar Peres morreu nesta quinta-feira, aos 77 anos, em Porto Alegre. Natural de Salvador, na Bahia, morava na Capital desde 1964. Ela era viúva do jornalista gaúcho Glênio Peres (1933-1988), que foi vice-prefeito de Porto Alegre no governo de Alceu Collares (1986-1988). As informações são de Zero Hora.

Formada em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), iniciou a militância política no movimento estudantil. Atuante na resistência à ditadura militar, filiou-se ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB). Admiradora de Leonel Brizola, foi uma das fundadoras do Partido Democrático Trabalhista (PDT), no qual atuou durante o período da redemocratização. Participou ativamente das campanhas eleitorais do partido e foi integrante tanto do diretório estadual como do nacional.

Além disso, foi dirigente da Ação da Mulher Trabalhista (AMT), órgão que congrega as mulheres do PDT. Entre outras realizações, a socióloga participou da comissão do Acervo de Luta contra a Ditadura no Rio Grande do Sul desde sua criação, no início dos anos 2000.

Lícia disputou cargos públicos pelo PDT em duas oportunidades: em 2004, quando foi candidata a vice-prefeita de Porto Alegre na chapa em que Vieira da Cunha disputou a prefeitura, e em 2010, quando concorreu ao Senado.

Feminista, fundou e presidiu o Comitê Feminino pela Anistia no Rio Grande do Sul. Escrevia com regularidade artigos relacionados com a temática das mulheres.

Conforme a família, era cinéfila, amante da literatura, da música e das artes. Lícia, que considerava-se porto-alegrense de coração, deixa o filho Lorenzo. O velório está marcado para amanhã às 9h no Teatro Glênio Peres, na Câmara Municipal de Porto Alegre.


CERIMÔNIA DE ENTREGA DOS PRÊMIOS - Dia 10 de dezembro de 2018, às 20 horas - Auditório da OAB/RS. Rua Washington Luiz, 1.110 – 2º andar - Porto Alegre/RS - Telefone: 051 99951.2869
CATEGORIA ESPECIAL: FAKE NEWS MUDAM TAMBÉM A SUA HISTÓRIA
REPORTAGEM - 35º PRÊMIO DIREITOS HUMANOS DE JORNALISMO
CATEGORIA DOCUMENTÁRIO - 35º PRÊMIO DIREITOS HUMANOS DE JORNALSIMO
35º PRÊMIO DIREITOS HUMANOS DE JORNALISMO/ 2018 CATEGORIA On Line
35º PRÊMIO DIREITOS HUMANOS DE JORNALISIMO - TELEVISÃO
35º PRÊMIO DIREITOS HUMANOS DE JORNALSIMO CATEGORIA FOTOGRAFIA > TROFÉU PAULO DIAS
VENCEDORES DO 35º PRÊMIO DIREITOS HUMANOS DE JORNALISMO - RÁDIO
35º PRÊMIO DIREITOS HUMANOS DE JORNALISMO/ 2018 - CATEGORIA ACADÊMICO
ENCERRADAS AS INSCRIÇÃO AO 35º PRÊMIO DIREITOS HUMANOS D E JORNALISMO
Encerrou no dia 21/10/ 2018, o prazo para participação no 35º Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo.
Fenômeno da pós-verdade transforma os consensos já estabelecidos
Homenagem, em Montevideo, a Jair Krischke, Presidente do MJDH RS
Personalidades de varios países do se reuniram hoje em Montevideo UR, para homenagear os 80 anos de idade de Jair Krischke
Presidente do Movimento de Justiça e dos Direitos Humanos recebe amanhã, 19, Prêmio no Uruguai por sua luta contra os Direitos Humanos
Abertas as inscrições para o 35º Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo – 2018
Faleceu o amigo e colega Luís Milman
Famecos inicia atividades de projeto integrado do curso de Jornalismo
Acolhimento de refugiados em igrejas é alvo de críticas na Alemanha
Jair Krischke é palestrante na VII Conferência Internacional dos Direitos Humanos, na sede da OAB/RS

Página 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | ... || Próxima

A+-     A  ?
» Contatos
Movimento de Justiça e Direitos Humanos

Av. Borges de Medeiros, 340 - 94
Porto Alegre - RS

 (51) 3221-9130
 Fale Conosco









Desenvolvimento PROCEMPA