ONG Parceira do PortoWeb

Morre Lícia Peres, socióloga, feminista e militante política

Natural de Salvador, na Bahia, Lícia morava na Capital desde 1964

Foto: Lauro Alves /Agencia RBS

A socióloga Lícia Margarida Macedo de Aguiar Peres morreu nesta quinta-feira, aos 77 anos, em Porto Alegre. Natural de Salvador, na Bahia, morava na Capital desde 1964. Ela era viúva do jornalista gaúcho Glênio Peres (1933-1988), que foi vice-prefeito de Porto Alegre no governo de Alceu Collares (1986-1988). As informações são de Zero Hora.

Formada em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), iniciou a militância política no movimento estudantil. Atuante na resistência à ditadura militar, filiou-se ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB). Admiradora de Leonel Brizola, foi uma das fundadoras do Partido Democrático Trabalhista (PDT), no qual atuou durante o período da redemocratização. Participou ativamente das campanhas eleitorais do partido e foi integrante tanto do diretório estadual como do nacional.

Além disso, foi dirigente da Ação da Mulher Trabalhista (AMT), órgão que congrega as mulheres do PDT. Entre outras realizações, a socióloga participou da comissão do Acervo de Luta contra a Ditadura no Rio Grande do Sul desde sua criação, no início dos anos 2000.

Lícia disputou cargos públicos pelo PDT em duas oportunidades: em 2004, quando foi candidata a vice-prefeita de Porto Alegre na chapa em que Vieira da Cunha disputou a prefeitura, e em 2010, quando concorreu ao Senado.

Feminista, fundou e presidiu o Comitê Feminino pela Anistia no Rio Grande do Sul. Escrevia com regularidade artigos relacionados com a temática das mulheres.

Conforme a família, era cinéfila, amante da literatura, da música e das artes. Lícia, que considerava-se porto-alegrense de coração, deixa o filho Lorenzo. O velório está marcado para amanhã às 9h no Teatro Glênio Peres, na Câmara Municipal de Porto Alegre.


Colunista é condenado por discriminação contra índios
XIII Simpósio Associação Ibero Americana de Filosofia Política: 14-16 outubro, Juiz de Fora
Comissão da Verdade convoca Ustra e Marival Chaves para depoimento público
Peritos argentinos apontam erros primários em análise de ossadas da ditadura no Brasil
Após quase 1 ano, Comissão da Verdade é alvo de críticas
IGP entrega carteira de identidade a Peter Ho Peng, que teve cidadania cassada na ditadura militar
Devolução formal da cidadania brasileira (entrega de RG), ao cidadão PETER HO PENG.
Morre padre Renzo Rossi, defensor dos direitos humanos no Brasil
SEMANA NACIONAL MEMÓRIA E DIREITOS HUMANOS > REFORMAS DE BASE GOVERNO JANGO. - DIA 1° de abril – Câmara Municipal de Porto Alegre.
A construção dos direitos humanos e a representação sobre as (desumanas) condições do PCPA
Cardeal Bergoglio denunciado na Argentina por seqüestros durante a ditadura
Comissão da Verdade pedirá à Argentina informações sobre desaparecimento de 15 brasileiros
Placas de ruas de Porto Alegre são adesivadas com nomes de mulheres
Regime militar ajudou Pinochet com US$ 115 milhões
Omissões marcam livros usados em escolas militares
Importante artigo para se conhecer: Le Brésil n’est pas un pays sérieux?
Comissão precisa ter mais atitude, afirma Marcelo Rubens Paiva
Comissão comprova desaparecimento de militante pelas mãos da Aeronáutica
Uruguai- Nunca terrorismo Novamente estado
NOTA OFICIAL - TRAGÉDIA EM SANTA MARIA

Anterior || ... | 4 | 5 | 6 | 7 | Página 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | ... || Próxima

A+-     A  ?
» Contatos
Movimento de Justiça e Direitos Humanos

Av. Borges de Medeiros, 340 - 94
Porto Alegre - RS

 (51) 3221-9130
 Fale Conosco









Desenvolvimento PROCEMPA